segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Existe momento certo para mudar de profissão?

O melhor momento para migrar de carreira é quando a pessoa percebe que não tem mais prazer ou realização pessoal no seu trabalho


Antes de fazer a transição, é necessário levar em consideração alguns pontos importantes. O profissional deve estar consciente que poderá ter algum tipo de perda, seja financeira ou de status. Se ele exerce um cargo de gerência, por exemplo, provavelmente tem um salário razoável e é respeitado pela função que ocupa. Ao migrar de carreira, poderá ocupar um cargo inferior e ganhar menos. Por isso a necessidade de analisar os prós e os contras e ir preparado para esta mudança. 

Segundo Flávio Pereira, psicólogo e diretor do Instituto Flávio Pereira Desenvolvimento Pessoal e Profissional, muitas vezes o profissional prefere abrir mão de um salário alto para ter uma melhor qualidade de vida. Mas nem sempre a família entende e acaba pressionando para que a pessoa não mude de profissão. “Conheço um caso em que a mulher pediu o divórcio porque o marido deixou de ser comandante de navio para trabalhar como professor, sua renda reduziu”, conta o psicólogo. 

Pereira alerta que o autoconhecimento, o planejamento e pesquisas sobre a nova carreira são essenciais antes de tomar a decisão. É aconselhável consultar um especialista que oriente e ajude o profissional a descobrir o porquê está descontente com o emprego.
Entre os fatores mais apontados na mudança de carreira estão a realização pessoal, a flexibilidade de tempo, a qualidade de vida e um salário melhor.
“Nem sempre é a carreira, mas sim o ambiente da empresa onde trabalha. Muitas pessoas mudam de profissão devido ao ambiente. Conheci um dentista que abandonou a carreira porque percebeu que não gostava de trabalhar em local isolado, silencioso. Ele fez Gestão de Negócios e foi trabalhar na área comercial", conta o psicólogo. Outros estão descontentes com os colegas, com o chefe, com o salário, com a falta de incentivo e reconhecimento da empresa.

Se o problema é o ambiente, basta trocar de empresa e tudo está resolvido. Mas se for a insatisfação com a carreira, o melhor a fazer é procurar outra profissão. Conselhos de amigos, familiares e profissionais que estão na área desejada também ajudam, porém, o especialista em reorientação de carreira poderá auxiliar profissionalmente.

Flávio Pereira dá dicas para quem ainda não optou por uma carreira, para quem não iniciou um curso superior ou um curso técnico. 
Fazer uma análise vocacional, começando com uma análise da personalidade ou existencial. Cada personalidade adota uma profissão ideal: confira aqui.
Depois, deve-se analisar o futuro da profissão e as tendências do mercado. Pesquisar quais são as profissões que estão em alta e em baixa.
Flávio Pereira, psicólogo e diretor do Instituto
Flávio Pereira Desenvolvimento Pessoal e Profissional

Se você gostou, deixe um recado! É muito importante seu feedback. 

7 comentários:

  1. Sonia, gostei muito da matéria e me identifiquei em vários momentos. Passei por vários dos problemas que você abordou e que o psicólogo falou.
    Realmente quando não dá mais o melhor a fazer é mudar de profissão.
    Ser mais feliz é melhor do que ganhar um bom salário e ter de conviver com colegas insuportáveis.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela matéria Sonia!!!!!!!!
    As dicas estão muito legais.
    O psicólogo é muito bom nas dicas, principalmente porque ele é conhecedor do assunto.
    Carla Bruna Guimarães

    ResponderExcluir
  3. Sônia, escreva sobre outros assuntos tão bons quanto este que você abordou.
    Eu estava na dúvida não sabia se continuava ou largava este emprego por causa do salário, mas percebi pela matéria que o mais importante é estar bem, estar feliz, ter prazer em trabahar. E isso eu não estou mais tendo no meu serviço. Talvez eu ganhe menos mas vou procurar outro emprego. Esta mate´ria me ajudou muito para decidir o que devo fazer.
    Muito obrigada.
    Moro na Fazenda Rio Grande e trabalho em Curitiba.

    ResponderExcluir
  4. Cara Sonia, gostei da matéria. Sou daqui de Curitiba e vou procurar pelo profissional Flávio Pereira.
    Grata pelas dicas.
    Cintia.

    ResponderExcluir
  5. Sônia, parabéns pela matéria. Entrei no site do psicólogo Flávio Pereira e vou ligar para eles. Tem vários cursos interessantes!
    Grata pelas dicas.
    Patrícia de Alcântara

    ResponderExcluir
  6. Conheço o trabalho do Dr Flavio Pereira. Ele é um profissional excelente.
    Gostei das dicas. É triste, mas é a relaidade. Os fatores que mais percebo são a insatisfação no emprego e o salário baixo. Isso deixa qualquer pessoa triste e querendo mudar de profissão.
    Marina Hoffmann

    ResponderExcluir
  7. Sônia sei bem o que é estar infeliz no trabalho. Passei por isso durante 2 anos até que não aguentei mais e pedi demissão. Continuo na mesma área - o problema era a empresa e as pessoas.
    Sabrina.

    ResponderExcluir