domingo, 24 de junho de 2012

Visitas à maternidade exige bom senso

Como se comportar ao visitar um recém-nascido na maternidade

Eu e meu bebê na maternidade. São momentos únicos. Por isso, precisamos aproveitar ao máximo.
Sua amiga, prima, colega de trabalho ou irmã deu à luz e você quer fazer uma visita? Ok, sem problemas, desde que ela queira receber visitas e que você tenha bom senso e respeito. Afinal, a recuperação é lenta, principalmente se for cesárea, sem contar que a parturiente e o bebê estão se conhecendo - ela acabou de receber um novo ser e quer dividir essas primeiras 48 horas com o pai e o bebê porque foram nove meses de espera para ver o tão sonhado rostinho.

Sim, eu sei que você comprou o presente com o maior carinho e está louca para presentear o bebê (além da curiosidade, é claro), mas com certeza a mãe que acabou de receber seu maior presente, seu bebezinho, dispensa qualquer joia, vestido, calçadinho, etc por um descanso, cochilo ou simplesmente para deixar seu bebê em paz, sem aquelas risadas, gargalhadas ou então pessoas desajeitadas que pegam o bebê de qualquer maneira e acham que porque já tiveram filho sabem tudo.

Acreditem, ainda tem a pior parte: sabe aquelas mães que querem dar o bebê que nem sequer completou 24 horas de vida para outra criança segurar. Detalhe: a criança já pulou, brincou, colocou as mãos no chão e está com o seu bem mais precioso e frágil nas mãos. Isso é um absurdo! (oiiii, mães?)
Chegada do bebê - esse momento é muito esperado, afinal, só agora a mãe poderá vê-lo realmente como o bebê é, tocá-lo e cheirá-lo porque no momento do nascimento é muito rápido devido aos procedimentos que o bebê necessita. Então meus caros, deixem esse momento para a mãe, o pai e alguém que a mãe realmente faça questão da presença.
Elenquei 13 dicas preciosas que funcionam perfeitamente, se você segui-las:

- Seja breve. Permaneça, no máximo, 30 minutos. Isso se tiver pouca gente, caso contrário fique 15 minutos. A mãe e o bebê precisam de repouso.

- Lave suas mãos com álcool gel assim que entrar no quarto. Você veio de fora, de um ambiente poluído.

- Evite pegar o bebê no colo. Muitas mães não gostam, seja por medo de alguma doença ou ciúmes do bebê. Se a mãe oferecer, ok.

- Não use perfume para visitar um recém-nascido. Não importa se é suave ou doce. Você precisa estar ciente que o bebê pode ser alérgico. Ah, sim, se é fumante, por favor, evite fumar no percurso até a maternidade.

- Se estiver com febre, resfriado ou outras doenças, não vá à maternidade. Não custa esperar alguns dias e visitá-los em casa, depois que você estiver curado. O bebê ainda não tem imunidade suficiente.

- Caríssimos pais, NÃO LEVEM CRIANÇAS HIPERATIVAS OU AGITADAS. Pelo amor de Deus, dá um mal estar de ver uma criança gritando ou pulando no quarto da maternidade. O mais desesperador é ver a criança gritando próximo do ouvido do seu filho que acabou de sair do seu ventre.

- Não dê palpites, sugestões e dicas. A mãe se preparou durante nove meses para receber seu pequeno. Então tente segurar sua onda. Isso serve para as avós e aquelas tias que adoram palpitar. O bom senso diz que se deve respeitar a mãe porque ela descobrirá aos poucos as melhores maneiras de lidar com seu filho.

- Se o médico ou a enfermeira chegar queira, POR GENTILEZA, se retirar do quarto. É muito constrangedor para a mãe, por exemplo, se precisar trocar um curativo ou então amamentar com a ajuda da enfermeira com aqueles olhares curiosos voltados para ela. As recomendações só dizem respeito à mãe e ao pai. Não seja deselegante.

- Vale lembrar que nem sempre a mãe quer receber visitas na maternidade. Muitas vezes ela prefere recebê-las em casa. Há aquelas que preferem que venham à maternidade para não se preocuparem com a desordem da casa ou então em servir algo às visitas.

10ª - Fotografar ou filmar somente com o consentimento dos pais.

11ª - As visitas são importantes e geralmente quem vem nos visitar são pessoas que nos amam, que nos querem bem e muitas por pura curiosidade. Mas o que precisa levar em consideração é que o pós-operatório é para a parturiente descansar.

12ª - Tarefa para o papai: pedir licença às pessoas que a mamãe quer amamentar ou dormir um pouco por estar cansada. É importante que as visitas não ultrapassem o horário das 19h porque a mãe e o bebê precisam dormir. Afinal, quem terá que acordar no meio da noite para amamentar é a mãe.

13ª - Lembrancinhas: por favor, peguem uma por família. Se a lembrança é trufa ou outro doce, não queira comer a sua e colocar outra na caixinha ou então levar para outra pessoa que não pôde visitá-la.

Pessoal, essas dicas valem também para os primeiros dias em casa, ok!
Espero que gostem da matéria e compartilhem com as recentes e futuras mamães. Talvez possa ajudá-las durante a estadia na maternidade e nos primeiros dias em casa. Que tal enviar para suas amigas despretensiosamente? Acho que elas vão entender o recado.

Valeu!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Seu bebê usa óculos de sol?

Atenção pais, o excesso de luz, com o passar dos anos, pode levar à escuridão. Por isso é importante acostumar as crianças a usarem óculos de sol desde bebê
 Meu filho, de 1 ano, usa óculos de sol desde bebê. Preferi a marca Ray-Ban por ter armação leve e lentes claras

Prezados, gostaria de dividir com vocês esse post. Como jornalista e mãe, considero esse assunto, saúde dos olhos, importante e essencial para as crianças e os pais.

Se você é uma das pessoas que pensa que óculos de sol é assunto apenas para adultos então precisa rever seus conceitos, porque a falta de proteção nos olhos durante a infância aumenta a chance de a criança ter problemas de visão no futuro.

Muitos pais não têm a consciência ou o conhecimento sobre a necessidade da utilização desse acessório nos pimpolhos. Ah, antes de mais nada é importante frisar que este acessório não é apenas para deixar a criança bonitinha, engraçadinha, mas sim para proteger seus olhos e evitar que, a longo prazo, ela desenvolva catarata, lesões na retina, irritação na córnea, entre outros problemas. 

Mas não basta apenas comprar um óculos qualquer, precisamos nos atentar à qualidade do produto. É importante ir até uma ótica séria, que tenha credibilidade porque as lentes precisam ter proteção contra os raios UVA e UVB.

Bem, para continuar essa matéria, preciso fazer um adendo:
Eu já havia postado esse texto acima no meu perfil do Facebook no início de fevereiro, porém, esta semana, mais precisamente no dia 04 de junho de 2012, estava assistindo ao programa “Bem Estar”, veiculado pela Rede Globo, e vi algumas dicas de dois especialistas que podem enriquecer a matéria. Por isso decidi postar aqui no blog também.

Você já ouviu falar em PTERÍGIO? 

O organismo, na tentativa de se proteger, produz uma pele rosada que cresce sobre a parte branca do olho

É uma doença causada pelo excesso de sol nos olhos. A pessoa que não tem o costume de usar óculos de sol pode desenvolver, ao longo dos anos, o Pterígio.

Conforme explica o oftalmologista Dr. Samir Bechara que participou do programa matinal “Bem Estar”, nos estágios mais avançados do Pterígio a pele cobre a região da córnea e da pupila, podendo levar até a cegueira. “Mas o lado positivo é que tanto o Pterígio quanto a catarata são perdas de visão reversíveis, diferente, por exemplo, do glaucoma, que é uma perda de visão irreversível”, afirma ele.

O oftalmologista Dr. Fábio Nero, que também participou do programa “Bem Estar”, expôs os sintomas do Pterígio. Ardência, vermelhidão, coceira e lacrimejamento, segundo ele, uma irritação constante. "Além desses sintomas, a pessoa poderá perceber porque a pele vai crescendo por cima da córnea. E se não fazer a cirurgia essa pele vai crescer e avançar até a pupila, que é o canal de passagem das imagens. Aí sim vai começar a atrapalhar a visão".

Os óculos de sol ajudam a prevenir do Pterígio. Por isso a importância de usá-los desde criança, de acostumá-las a usar porque quando nossos olhos entram em contato com a luz, a pupila dilata e se não tivermos uma proteção, um óculos de sol de qualidade, vai entrar mais luz e raios ultravioleta, trazendo complicações para a saúde dos olhos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, há três recomendações imprescindíveis e que precisam ser levadas em consideração na hora de escolher os óculos, seja para uma criança ou para um adulto:
1ª Exija proteção UV (400 nanometros)
2ª Compre em óticas confiáveis
3ª Peça Certificado e Selo de Garantia

Para tirar outras dúvidas consulte o pediatra do seu filho ou um oftalmologista (pediátrico). Ele poderá fazer um diagnóstico preciso.

*** Meus queridos leitores, se possível deixem seu nome e da sua cidade - assim posso saber quem está acessando e lendo minhas matérias.